quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

O INÍCIO DA ULTRAPASSAGEM


8 Comentários:

Blogger sideny disse...

ola
Primeiraaaaa.
Vou gostar de ver e ler o teu blg.
Força
beijinhos

8 de janeiro de 2009 às 07:36  
Blogger alex disse...

sideny ,muito ob por seres a 1º.adorei ter -te aqui bjocas

8 de janeiro de 2009 às 10:10  
Blogger ru2x disse...

Eu comentei não apareceu. Comento de novo tentando lembrar-me do que escrevi.
Sou o segundo a comentar a sideny merece ser a primeira ela é uma boa amiga e vejo com alegria o desenvolver da vossa amizade.
É com muito orgulho que vejo o teu renascer. As barreias vão caindo a cada dia que passa e o caminho à tua frente vai aparecendo para poderes caminhar com segurança.Lembra-te que perder-se também é caminho. O impossivel acontece quando canalizamos todas as energias em busca de um objectivo. A mudança acontece quando acreditamos genuinamente em nós mesmos. Não conseguimos mudar o mundo, mas se nós mudarmos o mundo muda connosco.Um resto de dia de anos feliz. Compreendes o que quero dizer?
Beijos

8 de janeiro de 2009 às 11:37  
Blogger alex disse...

ru2x, sabes consigo sentir-me orgulhosa tb e já consigo vislumbrar um trilho ao longe cada passo é pequeno mas seguro.sabes bem que tenho uma bussola na mão,que não largo nem por um instante e que me indica sempre o norte.começo a acreditar em mim nos outros e que os impossiveis podem-se tornar possiveis.o meu mundo de barreiras feitas de pedra começa a mover-se lentamente.08-01-08 é uma data que não vou esquecer.ob.para ti tb

8 de janeiro de 2009 às 15:42  
Blogger alex disse...

faltou-me um golpe de asa...

Hoje 09-01-08 uma amiga nova e querida, vai a uma consulta, dela pouco mais sei que está doente e que detesta o frio.
Sei tb que gostava de viajar, neste Inverno para um país tropical, todos disse-me ela menos o brasil. Uma praia, palmeiras céu azul e sol mt sol ,se eu tivesse dinheiro... Vamos as duas,quem sabe , aprendi a soltar os sonhos à pouco tempo,tu escolhes o país.
Eu e ela somos mt diferentes é verdade, mas atrevo-me a dizer que a dor que sentimos na alma é semelhante e talvez ela se esfumasse com a brisa suave que corre sempre em praias de sonho , como a nossa.
faltou-me um bocadinho assim de coragem para lhe dizer eu vou contigo à consulta amiga.
falta-me sempre um golpe de asa....


para sidiny

9 de janeiro de 2009 às 01:02  
Blogger sideny disse...

ola
obrigada .
mas não perdeste nada, estava um frio horrivel
ate congelava a alma.
esta tudo a andar bem.
quanto a viagem so para baixo do equador, para cima esta frio.
havemos de ir nem que seja em sonho:))))
beijocas

9 de janeiro de 2009 às 08:37  
Blogger alex disse...

O Julgamento

Bom dia. Mertíssimo Verme, a coroa mostrará sem sombra de dúvida
que o prisioneiro aqui presente
foi apanhado em flagrante dando mostras de sentimentos
sentimentos de natureza quase humana
Que vergonha!Assim não pode ser, chamem o director da escola
Sempre achei que este ia acabar mal
Se afinal, Meritíssimo,me tivessem dado carta branca
Tê-lo-ia chicoteado até entrar na linha mas tinha as mãos atadas
O raio dos poetas e artistas deixam-nos fazer tudo o que querem
Deixem-me malhar-lhe agora,loucos bonecos no sotão,estou maluco
Devem-me faltar alguns parafusos
Chamem a mulher do réu, sua porca, estás arrumado
Espero que fiques dentro para sempre
Devias ter falado comigo mais vezes
Do que falas-te, mas não, tinhas que levar a tua avante
Destruiste muitos lares ultimamente?
"Dê-me só cinco minutos,Meritíssimo Verme, a sós com ele"
Pequenino, vem à mamã, pequenino, deixa-me pegar em ti
Na cama nunca quis que ele arrajasse sarilhos
Porque me abandonou ele, Meritíssimo Verme,deixe-me levá-lo para casa
Doido com o arco-íris, estou louco, grades na janela
Devia haver ali uma porta na parede quando aqui cheguei
Doido como o arco-íris, está doido e a prova perante o tribunal
É irrefutável, nem é necessário o júri retirar-se
Em toda a minha experiência como juiz nunca vi ninguém
Que mais merecesse a pena capital, a maneira como fez
Sofrer a sua excepcional mulher e a sua mãe dá-me vontade de
Vomitar mas meu amigo você revelou o seu medo mais profundo
Condeno-o a ficar exposto perante os seus semelhantes
Deitem a parede abaixo

18 de janeiro de 2009 às 20:08  
Blogger alex disse...

A TODOS E A CADA UM DOS MEUS AMIGOS

Por um por todos por nenhum
faço o meu canto canto a minha mágoa
num desencanto aberto pelo gume
deste pranto tão limpo como a água.


Por nenhum por todos ou por um
eu dou o meu poema o meu tecido
de palavras gravadas com o lume
do medo que na voz trago vencido.


Por nenhum por um mesmo por todos
sou a bala e o vinho sou o mesmo
que pisa as uvas os versos e o lodo
num chão onde a coragem nasce a esmo.

Joaquim Pessoa

18 de janeiro de 2009 às 23:17  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial